Email para campanha eleitoral: como não virar spam?

por Ana Codeglia - 02/04/2017 ⇠ Veja outros Posts

Há alguns dias, postamos um texto com várias dicas para começar uma campanha política na internet. Nele, falamos sobre a importância do email para campanha eleitoral, já que trata-se de uma ferramenta eficiente para atingir um grande número de pessoas em poucos minutos, além de ser financeiramente acessível.  

O email para campanha eleitoral permite enviar mensagens personalizadas aos usuários, pois é uma ferramenta de marketing direto (ou seja, a mensagem é direcionada a um destinatário específico, de forma segmentada e mensurável). Você pode entender mais sobre o assunto neste texto sobre marketing eleitoral.

No entanto, apesar de ser uma estratégia muito eficiente para angariar eleitores, é preciso ter muito cuidado na hora de enviar correios eletrônicos. Se você não seguir algumas regras e macetes, é bem provável que sua mensagem acabe indo parar na caixa de spam, e você com certeza não quer isso, certo?

Pensando nisso, neste post trazemos algumas dicas para que seus emails cheguem na caixa de entrada dos seus destinatários e sejam lidos por eles, garantindo bons resultados para sua campanha eleitoral. Vamos lá?

1. Não compre listas de contatos

não compre listas de contatos

Já falamos isso inúmeras vezes aqui no blog, mas é preciso repetir: não compre listas de contatos, jamais! Essa prática é realizada por várias pessoas que acreditam que, quanto mais destinatários tiverem, maiores serão as chances de seus emails serem lidos. Mas, acredite: isso não passa de uma ilusão.

Sabe aquela famosa frase “melhor ter qualidade do que ter quantidade”? Ela é mesmo verdadeira! Mas se você ainda não entendeu qual é o problema em comprar listas de contatos prontas, vamos te explicar direitinho.

O primeiro problema está no fato de que, quando você compra uma base de dados, há milhares de pessoas nessa lista que nunca ouviram falar de você, e que nunca te autorizaram a enviar seus e-mails. Assim, quando elas receberem uma mensagem sua, é bem provável (bem provável mesmo!) que elas marquem seu conteúdo como “spam”.

Pronto, só aí você já perdeu vários pontos e pode ir parar em uma lista negra da internet, que fará com que seu endereço de email seja mal visto e vá parar na caixa de spam com frequência.

Outro ponto importante é que, nessas listas compradas, podem existir vários endereços que não existem ou que estão desativados. Assim, quando você for enviar um email para esses destinatários, você também irá comprometer sua reputação.

A melhor solução, então, é conseguir montar seu próprio banco de dados. Se quiser ajuda para isso, é só ler este post com o passo a passo completo para cadastrar eleitores em sua base de contatos. E lembre-se que comprar listas não é só antiético, mas também é ilegal.

2. Envie emails de opt-in

envie emails de opt in

Uma boa prática que pode impedir que seu email para campanha eleitoral vire spam é enviar mensagens de opt-in. Mas o que é isso?

Ao cadastrar um contato novo em sua base de dados, independentemente de onde ele tenha vindo (formulário de newsletter, contato telefônico, visita pessoal etc.) você deve enviar-lhe um email de boas-vindas.

Na mensagem, é necessário informar que a pessoa foi cadastrada em sua base de dados e que receberá notícias e conteúdos relevantes sobre a campanha. No final, você deve incluir um link para que a pessoa confirme seu e-mail e garanta que está ciente de que receberá seus correios eletrônicos.

Assim, você enviará emails apenas a pessoas que estejam interessadas em receber seus conteúdos, o que aumentará sua autoridade na internet e ajudará a garantir que suas mensagens não cheguem na caixa de spam.

3. Ofereça a opção de descadastramento

Outra ação indispensável que fará com que seu e-mail para campanha eleitoral não caia na caixa de spam é o descadastramento. Neste caso, não há mistério: você deve incluir, em todas as mensagens que enviar, uma opção para que a pessoa se descadastre da sua lista de emails e pare de receber suas mensagens.

É ruim perder um contato de sua base? Talvez, mas não tão ruim como ir parar na caixa de spam de toda a sua lista e nunca ter suas mensagens lidas, não é mesmo? Então, não ignore esta dica, pois ela é muito valiosa! E se quiser saber como incluir essa opção nos emails, um software de gestão política pode te ajudar.

4. Tenha cuidado com seus títulos

tenha cuidado com seus títulos

O título do email para campanha eleitoral é bem importante e deve ser pensado cuidadosamente. Primeiramente, preste atenção ao tamanho do texto: títulos com mais de 50 caracteres não são recomendados, pois dificultam a leitura do destinatário.

Além disso, evite palavras que podem ser facilmente classificadas como spam, tais como: “clique aqui”, “imperdível”, “grátis”, entre outras. A utilização de caps lock ou de pontos de exclamação também não é bem vista e deve sempre ser evitada.

5. Não abuse das imagens

Você sabia que algumas pessoas configuram seus emails para não abrir imagens? Assim, se a sua mensagem ficará prejudicada caso a pessoa só consiga ver o texto escrito, repense o email que está enviando e reformule-o de forma que seja facilmente lido por qualquer destinatário.

Além disso, o excesso de imagens pode ser entendido como spam, o que não é nada bom. Portanto, evite abusar desse recurso em suas mensagens.

Outra coisa importante é não enviar apenas uma imagem pura no email, como se fosse um boletim informativo escaneado, por exemplo. As chances de a mensagem não cair na caixa de entrada são bem grandes!

Se for fazer o email em HTML, sempre insira a opção de texto alternativo nas imagens (ou como é conhecido: “alt tag”). Esse texto descreve a imagem e aparece caso ela não possa ser carregada, o que garante o bom entendimento do conteúdo em qualquer situação.

6. Dê atenção ao design

dê atenção ao design

O design influencia muito na experiência que um destinatário tem ao ler uma mensagem.

Por isso, no seu email para campanha eleitoral, evite os seguintes elementos: excesso de informações, variação muito grande de cores, abuso de imagens, utilização de diversas fontes e tamanhos de textos, e tudo aquilo que possa poluir a mensagem.

Lembre-se que “menos é mais”, e quanto mais simples um email for, maiores serão as chances de que o leitor tenha vontade de ler seu conteúdo.

7. Evite anexos

Você teria coragem de abrir um anexo de um destinatário que não é seu amigo, familiar, ou colega de trabalho? Provavelmente não, certo? Anexos podem ser bastante mal vistos, porque são associados, com frequência, a vírus.

Portanto, prefira dizer tudo o que tem para dizer no próprio corpo do email para campanha eleitoral. Caso você precise realmente enviar um conteúdo extra, deixe-o disponível na internet e inclua um link para que a pessoa acesse o arquivo online.

8. Utilize um verificador de spam

Após montar o seu email para campanha eleitoral, seguindo todas as regras que listamos acima, chegou a hora de verificar se está tudo ok. Existem diversos sites que fazem isso, mas nós recomendamos fortemente o mail-tester.

Após entrar no site, você verá um endereço eletrônico para o qual você deve enviar seu email de teste. Após fazer o envio, você deve clicar no botão que diz “em seguida, verifique sua pontuação”.

O site te dará uma nota de 1 a 10 (como no exemplo abaixo) e, além disso, explicará quais são os problemas que seu email apresenta, para que você possa corrigi-los. É bem didático e bastante útil!

mail tester

Esperamos que tenha gostado das nossas dicas. Se você seguir nossos macetes, seu email para campanha eleitoral não cairá na caixa de spam :) E, se ainda tiver dúvidas, deixe seu comentário aqui embaixo ou fale com um especialista da nossa equipe!

E-mail Marketing:  Primeiros Passos

Ana Codeglia

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

Ligue agora:

11 4380-6606
Este site utiliza cookies para otimizar sua experiência durante a navegação. Ao continuar nesta página, consideramos que você concorda com a utilização de cookies. Ok, entendi.

© NeritPolítica

by nerit