Cadastro de eleitores: passo a passo completo

por Ana Codeglia - 03/03/2020 ⇠ Veja outros Posts

Aqui no blog, sempre falamos sobre a importância de ter um cadastro de eleitores confiável e organizado, tanto para o político que está em campanha quanto para o parlamentar que está em mandato.

Para te ajudar a entender como fazer, de fato, esse trabalho, decidimos trazer um passo a passo completo! Vamos saber, primeiramente, qual é a importância de ter um cadastro de eleitores.

Depois, vamos mostrar quais informações você deve coletar e onde você pode captar esses dados, sem precisar comprar listas prontas, pois essa é uma ação antiética e ilegal.

Por último, vamos explicar como realizar o cadastro em um sistema de gestão online, com o qual você pode organizar a base, segmentar os dados e automatizar esse trabalho em alguns casos.

Vamos lá?

Por que é importante ter um cadastro de eleitores?

 

Worker with doubts Free VectorA importância de ter um cadastro de eleitores, ou um banco de dados de contatos, já foi abordada inúmeras vezes aqui no blog. Neste post sobre a importância de um gestor político, por exemplo, explicamos qual é a necessidade de fazer esse trabalho.

Se você ainda não leu esse texto, ou se deseja relembrar quais são os motivos pelos quais ter uma base de contatos é indispensável, continue a leitura, pois vamos retomar esse conteúdo por aqui também.

Mas se quiser ir direto ao ponto e ler a parte mais prática deste passo a passo, pule para o próximo item do texto, que trata sobre as informações relevantes que devem ser registradas em seu banco de dados.

Vantagens para quem está em campanha

Para quem está em campanha, as duas principais vantagens de ter um cadastro de eleitores são as seguintes:

1. Saber quem são os seus potenciais eleitores e traçar estratégias específicas para eles.

Ao possuir uma relação rica e organizada com as informações de seus eleitores e potenciais eleitores você pode, primeiramente, elaborar propostas e ações que estejam direcionadas a esse público, considerandos seus anseios e necessidades.

Como já mencionamos neste post sobre marketing eleitoral, um dos maiores erros que fazem um candidato perder as eleições é basear suas propostas e, consequentemente, seu marketing eleitoral, no “achismo”. Ou seja, o político e sua equipe pensam que já sabem quais são os anseios da população e baseiam suas propostas nisso.

Assim, muitas vezes, eles perdem a oportunidade de abordar elementos chave que poderiam cativar o público-alvo e estabelecer um diferencial em relação a seus oponentes, deixando passar uma oportunidade de ouro para se destacar e vencer as eleições.

Em outras palavras, se uma parcela significativa dos cidadãos cadastrados em seu gestor político são trabalhadores autônomos, por exemplo, uma ação indispensável é que você bole propostas e estratégias específicas para esse público.

Outro exemplo é a região onde moram seus contatos. Se a maioria deles está concentrada em um bairro específico, que tal pensar em ações direcionadas a esse lugar? Ter em mente os interesses dos eleitores é o primeiro passo para conseguir conquistar sua confiança.

2. Realizar campanhas de marketing segmentadas, utilizando filtros relacionados a gênero, profissão, idade, região, entre outros.

Após considerar seu público-alvo no momento de traçar propostas e estratégias, chega a hora de comunicar essas ações às pessoas certas. Personalizar sua comunicação e demonstrar ao eleitor que você está pensando nele é indispensável para conseguir seu voto!   

Voltando ao exemplo anterior, em que você bolou estratégias específicas para um bairro da cidade, você pode enviar mensagens de texto ou e-mails às pessoas que moram ali, contando ao destinatário tudo o que você tem em mente para que sua qualidade de vida melhore.

Vantagens para quem está em mandato

Para quem já está em mandato, as duas principais vantagens de ter um painel de eleitorado são as seguintes:

1. Manter um histórico de solicitações dos cidadãos e fornecer feedback.

Um dos maiores desafios para os políticos eleitos é dar feedback à população. Se você não conta com um bom software, é possível que as demandas dos cidadãos fiquem perdidas em diferentes planilhas ou até mesmo em pastas físicas.

Além disso, um problema bastante comum é não conseguir agrupar as demandas semelhantes, por falta de organização ou por excesso de solicitações. Isso acaba gerando um gasto excessivo de tempo com pedidos que poderiam ser solucionados simultaneamente.

Assim, o ideal é cadastrar tudo em um sistema online, e criar etiquetas que permitam agrupar demandas semelhantes, solucionando diversas solicitações de uma só vez. Da mesma forma, o retorno à população fica muito mais fácil, pois é possível enviar e-mails com o devido feedback, de forma rápida e segmentada.

2. Ter acesso a um registro de interações com cada pessoa cadastrada.

Outro ponto relevante é que, com um banco de dados, você pode manter um histórico das interações com os seus contatos: quais foram suas demandas? Quais solicitações foram atendidas e quais não foram? A pessoa recebeu o feedback necessário?

Esse controle permite uma maior organização no gabinete, além de contribuir para a construção de um relacionamento sólido com o cidadão, fortalecendo a confiabilidade e a imagem do político.

Quais informações são relevantes?

Checklist concept illustration Free VectorAgora que você já entendeu a importância de ter um cadastro de eleitores, é preciso pensar em como será o seu banco de dados.

O primeiro passo é pensar em quais informações são relevantes para você e para sua equipe. Ou seja, quais dados você deve inserir para cada contato de sua base?

Nesse momento, é interessante pensar em quais características das pessoas são importantes para sua campanha ou seu mandato, considerando seu cargo e também suas propostas.

Se você planeja elaborar projetos de lei que beneficiem algumas categorias trabalhistas, por exemplo, é indispensável incluir a profissão de cada pessoa em seu cadastro de eleitores.

Agora pensemos em outro exemplo. Se uma de suas maiores preocupações é trabalhar com melhorias de infraestrutura em diferentes bairros, é muito interessante que você inclua nos cadastros a região em que cada pessoa mora.

Por outro lado, se uma das suas pautas é trazer benefícios para pessoas idosas, considerando, por exemplo, direitos trabalhistas e aposentadoria, pode ser bem relevante inserir a idade de cada um dos seus contatos.

Em resumo, é preciso pensar, antes de mais nada, em quais dados serão recolhidos, seja através de formulários de cadastro, de conversas com eleitores em visitas, ou de qualquer outra maneira, o que abordaremos no próximo item desse post.

Algumas das informações mais importantes costumam ser as seguintes, mas podem variar dependendo do contexto de atuação de cada político:

  • Nome completo

  • Telefone

  • E-mail

  • Sexo

  • Idade

  • Profissão

  • Endereço

É importante ressaltar que, dependendo da situação, pode ficar cansativo pedir todas essas informações. Uma opção é alternar quais dados serão solicitados em diferentes meios.

Se a pessoa assina uma newsletter no seu site, por exemplo, você pode pedir que ela preencha o nome, e-mail e telefone, apenas. Depois, se ela entrar em contato com sua equipe, a pessoa que a atender pode preencher o resto dos dados durante a ligação, completando assim o cadastro.  

Como pegar as informações?

 

Wall post illustration concept Free VectorComo já comentamos por aqui, comprar listas prontas é uma ação proibida por lei, sendo que as multas podem chegar até 30 mil reais. Portanto, é indispensável que você realize um cadastro de eleitores próprio, sem precisar pagar por ele.

Para te ajudar, vamos listar algumas estratégias com o intuito de que, em pouco tempo, você consiga ter um banco de eleitores rico e organizado.

Website

A melhor maneira de pegar os dados de uma pessoa é levando-a a fazer isso por conta própria, sem que você tenha que fazer nenhum esforço para isso.

Uma boa forma para que isso ocorra é colocando diversas opções em seu website que permitam que os próprios internautas deixem suas informações.

Uma ideia é colocar um formulário de newsletter, no qual a pessoa irá se inscrever para receber notícias e novidades, seja da campanha ou do gabinete do político eleito. Ao fazer isso, ela deverá deixar algumas informações, como nome e e-mail.

Outra opção é colocar um formulário para que a pessoa entre em contato, fazendo alguma solicitação ou crítica, por exemplo. Nesse caso, também serão solicitados alguns dados antes que a pessoa envie sua mensagem.

Também é possível permitir que os leitores do seu blog façam comentários, solicitando, para isso, que deixem seus dados de contato.

Pesquisas e visitas

Outra forma bastante interessante de coletar dados para realizar um cadastro de eleitores é através de pesquisas e visitas. Uma equipe de assessores, no caso do mandato, ou um grupo de voluntários, no caso da campanha, pode realizar pesquisas com a população, ou fazer visitas às comunidades, para entender as demandas dos cidadãos.

Nessas situações, é indispensável que cada pessoa que seja entrevistada ou que converse com o político (ou com sua equipe) deixe seus dados cadastrais, como nome, e-mail, telefone, idade, endereço, sexo, entre outros.

Contatos telefônicos, virtuais e presenciais

Uma outra maneira bastante prática e fácil de popular o cadastro de eleitores é coletando os dados de todas as pessoas que entrarem em contato com a equipe do político, seja presencialmente ou através de e-mail e telefone. Essa ação custa pouco esforço!

Isso sem contar que, quem entrou em contato por livre e espontânea vontade, provavelmente é um ótimo contato para se ter em sua base de eleitores.

Como cadastrar as informações?

 

Typing concept illustration Free VectorAgora que você já sabe quais informações coletar e como obter esses dados, chegou a hora de realizar, de fato, o cadastro de eleitores.

Alguns políticos fazem esse registro em planilhas offline, mas geralmente esse não é o melhor caminho, já que arquivos assim podem apresentar vários problemas.

Se mais de um assessor trabalha com o cadastro de eleitores, por exemplo, corre-se o risco de algum deles utilizar uma planilha desatualizada por engano. Caso eles troquem o arquivo por e-mail, pode ser que em algum momento um deles faça o download de uma planilha ultrapassada, enviada em outra ocasião.

Além disso, as planilhas offline não permitem o trabalho simultâneo, o que pode causar duplicação das informações ou até mesmo inconsistência dos dados.

Isso sem contar que o arquivo pode ser corrompido ou até mesmo perder-se para sempre se o computador apresentar algum problema.

Um sistema online, por outro lado, fica disponível para todos os assessores ao mesmo tempo e pode ser acessado a qualquer hora, em qualquer lugar, sem correr o risco de se perder ou corromper.

Outra vantagem de um sistema online é que ele impede a duplicação de dados, pois indica quando um contato já foi cadastrado.

Ademais, ele permite criar etiquetas para os contatos, de acordo com suas características, e realizar filtros a partir de inúmeros critérios (considerando idade, sexo, profissão, endereço etc.).

Qual a vantagem de utilizar um sistema online para realizar o cadastro de eleitores?

Em nosso e-book sobre construção de banco de dados de eleitores, mostramos algumas vantagens de contar com um gestor político para criar e organizar sua base de dados. Vamos retomar algumas delas aqui. E se quiser saber tudo sobre o assunto, é só fazer o download do nosso material gratuitamente!

• As informações ficam centralizadas em um único lugar;

• Diversos membros da equipe podem alimentar os dados simultaneamente;

• Os dados são padronizados e acessados de forma fácil e rápida;

• É possível filtrar os contatos por gênero, idade, profissão, região, entre muitos outros.

• Todos os dados estão seguros, através de backups criptografados disponíveis no servidor.

• É possível fornecer diferentes níveis de permissão para cada assessor.

• Os dados só podem ser acessados através de login e senha.

• O software pode ser integrado ao website do político. Assim, os dados cadastrados pelos usuários são importados automaticamente para o sistema.

• É possível disparar e-mails e SMS marketing de dentro do sistema para contatos específicos da base de dados, através de filtros.

• Pode ser mantido um histórico de relacionamento com cada contato.

Como funciona o cadastro de eleitores em um sistema online?

Cada sistema possui as suas próprias formas de realizar o cadastro de eleitores. No caso do NeritPolítica, é muito fácil fazer esse trabalho.

Para entender melhor essa funcionalidade, veja este pequeno tutorial que mostra como utilizar o painel de eleitorado dentro do sistema.

Veja também este vídeo, que mostra como funciona o registro de interações com os contatos no NeritPolítica.

Esperamos que tenha gostado do nosso passo a passo para realizar o seu cadastro de eleitores. Mas, se você ainda está com dúvidas, que tal bater um papo com um especialista da nossa equipe? Estamos prontos para ajudar você!

Construindo um banco de dados de eleitores: missão impossível?

Ana Codeglia

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

Ligue agora:

11 4380-6606
31 3047 5405

© NeritPolítica

by nerit