10 dicas para alavancar seu marketing eleitoral

por Larissa Maciel em 14/03/2017 ⇠ Veja outros Posts

Boas ações de divulgação são indispensáveis para que uma campanha seja bem-sucedida. Ao contrário do marketing político, cujo objetivo é criar e manter uma boa imagem geral do candidato já eleito, o marketing eleitoral tem um intuito muito mais claro e objetivo: que o político vença as eleições.

No caso do marketing político, então, temos estratégias que podem visar a diferentes objetivos, como preparar o parlamentar para uma próxima eleição ou fortalecer sua imagem junto à população para ter seu apoio em momentos cruciais. Assim, trata-se de um conjunto de ações a longo prazo.

O marketing eleitoral, por outro lado, é muito mais focado em um objetivo específico e tem um período de duração menor. Ou seja, trata-se de um conjunto de ações a curto prazo. Por isso, as técnicas devem ser muito bem pensadas e elaboradas para que possam surtir efeitos positivos de maneira rápida e eficiente.

Pensando nisso, trazemos neste post 10 dicas para alavancar seu marketing eleitoral e garantir que você atinja seu maior objetivo: conseguir todos os votos necessários para vencer! Confira:

1. Identifique a realidade da sua região de atuação

Um dos maiores erros que fazem um candidato perder as eleições é basear suas propostas e, consequentemente, seu marketing eleitoral, no “achismo”. Ou seja, o político e sua equipe pensam que já sabem quais são os anseios da população e baseiam suas propostas nisso.

Assim, muitas vezes, eles perdem a oportunidade de abordar elementos chave que poderiam cativar o público-alvo e estabelecer um diferencial entre o político e seus oponentes, deixando passar uma oportunidade de ouro para se destacar e vencer as eleições.

Considere o cargo que você irá exercer

É ingenuidade pensar que todos os brasileiros possuem os mesmos desejos e anseios. Dependendo da região onde moram, e de inúmeras outras características, os medos e as vontades podem ser totalmente diferentes entre distintos cidadãos.

Dessa forma, o primeiro passo no momento de considerar a realidade da sua região de atuação é pensar no cargo para o qual você irá se eleger. Se for um governador, por exemplo, a realidade a ser analisada será maior, pois envolverá todo o estado. Se for um prefeito, por outro lado, a realidade será mais local, e ainda mais específica.    

Quanto mais detalhista você for no momento de mapear as necessidades do seu público, maiores serão as chances de que o eleitorado se identifique com você e decida te dar o mais precioso que possui: seu voto!

Realize pesquisas estatísticas

realize pesquisas

As pesquisas estatísticas são fundamentais para planejar todo o marketing eleitoral, pois a partir das informações obtidas é que podem ser traçadas as estratégias para conquistar a população. Alguns dados que podem ser obtidos a partir desse tipo de ação são:

  • Os assuntos que mais interessam aos eleitores da região.

  • Os pontos positivos e negativos do governo atual.

  • As ações do governo corrente que devem ser mantidas ou eliminadas.

  • Temas que o candidato deve evitar abordar em suas campanhas.

  • A visão que o público já possui em relação ao candidato.  

 Para realizar esse trabalho, você pode contar com uma equipe de voluntários, ou até mesmo contratar uma agência especializada no assunto.

2. Analise os adversários

Um bom marketing eleitoral deve levar em consideração também aquilo que os opositores estão fazendo. Se fechar em seu próprio mundo é uma péssima ideia, pois observar os concorrentes pode te dar ideias do que fazer, bem como te mostrar o que evitar!

Não se trata de copiar o que os outros estão fazendo, mas sim analisar quais são suas propostas, estratégias, pontos fortes e fracos, para poder ter uma base do que você está fazendo bem e do que pode melhorar.

Para isso, algumas ações são necessárias: 

  • Listar todos os seus concorrentes.

  • Realizar uma pesquisa online e offline, acompanhando suas campanhas.

  • Fazer uma relação dos pontos positivos e negativos de cada um.

  • Analisar quais pontos positivos você pode adotar em sua própria campanha, fazendo as adaptações necessárias.

  • Procurar o que falta nos outros, ou seja, diferenciais que possam te dar destaque em relação aos opositores.

3. Verifique quais são os grupos sociais ativos na região

Outro ponto importante para um marketing eleitoral de sucesso é verificar os grupos sociais ativos da região em que você atuará. Ao dizer isso, estamos nos referindo aos conjuntos de pessoas que se organizam e mobilizam para atingir objetivos políticos e sociais.

Para isso, é necessário identificar as manifestações, protestos e greves mais recentes realizadas na região, dando maior atenção àquelas com um número maior de integrantes e com ações mais solidificadas.

Após essa triagem inicial, é preciso entender quais são as reivindicações desses grupos e pensar em formas de atender às suas demandas. Depois, é possível procurar os representantes e conversar com eles, buscando soluções em conjunto para seus problemas.

A partir disso, essas informações podem ser utilizadas de forma estratégica para consolidar o marketing eleitoral e criar mensagens com as quais esses grupos possam se identificar, conquistando um número grande de eleitores com grande poder de influência nas comunidades.

4. Invista em comunicação personalizada

Já foi-se o tempo em que mensagens genéricas geravam efeitos positivos no eleitorado. Hoje, com o avanço das tecnologias, o público está cada vez mais exigente e, até mesmo, difícil de agradar. Para impressionar, é necessário estabelecer uma comunicação com a qual o destinatário realmente se identifique.

Para isso, é indispensável ter um banco de dados de eleitores sólido e confiável, para que você possa enviar mensagens segmentadas ao seu público.

Isto é, ao ter um banco de dados virtual você pode classificar cada contato com as características que desejar, como idade, profissão, gênero, entre outros. Assim, no momento de enviar uma mensagem (seja por e-mail ou SMS) você pode direcioná-la à pessoa que tiver interesse em recebê-la, gerando um ótimo resultado.

Vamos nos aprofundar mais sobre o assunto no seguinte tópico. Continue nos acompanhando!

 5. Faça uso de e-mail marketing

uso de email marketing

O marketing digital vem ganhando cada vez mais adeptos no contexto de marketing eleitoral, já que se trata de um meio eficiente de atingir um grande número de pessoas em poucos minutos, além de ser financeiramente acessível.  

Hoje em dia, a grande maioria dos brasileiros possuem acesso à internet e usam a tecnologia com frequência, o que converte o meio virtual em um ambiente muito fértil para desenvolver estratégias de marketing assertivas.

Além disso, utilizando o e-mail marketing é possível enviar mensagens personalizadas aos usuários, pois trata-se de uma ferramenta de marketing direto (ou seja, que é direcionado a um destinatário específico, de forma segmentada e mensurável).

Para te ajudar a entender melhor, vamos relembrar uma explicação que trouxemos em nosso e-book gratuito E-mail marketing: primeiros passos.

Imaginemos que nosso destinatário é o Pedro, um cidadão que se encaixa dentro do nosso público-alvo.

  •  O contato é direto porque o destinatário receberá a mensagem em sua própria caixa de e-mail. Uma mensagem veiculada na televisão, por exemplo, não será direcionada especificamente ao Pedro, e só será vista por ele se, naquele momento, ele estiver com a TV ligada, naquele canal. No caso do e-mail marketing, haverá um contato individual e direcionado a ele.
  • O contato é segmentado porque será enviada uma mensagem específica ao destinatário, de acordo com suas características. Por exemplo, suponhamos que Pedro é professor da rede pública de ensino. Você poderá enviar uma mensagem personalizada a ele, com uma proposta de seu partido que envolva melhorias para a carreira de magistério.
  • O contato é mensurável porque você conseguirá obter dados sobre o que aconteceu com a sua mensagem: Pedro a leu? Quantas vezes? Ele clicou em algum link que estava presente na mensagem? A partir disso, você poderá utilizar essas informações e traçar estratégias para torná-lo seu eleitor, através do envio de um SMS, por exemplo.

 6. Aposte no envio de SMS

O envio de SMS de campanha eleitoral é uma estratégia de marketing eleitoral bastante atraente, principalmente pelo fato de ser financeiramente acessível e de apresentar uma taxa de leitura muito alta.

Basta você pensar em sua própria experiência como usuário: ao receber uma mensagem no celular, você geralmente a lê antes de deletá-la, não é verdade? Por ser um texto curto, é bem difícil que ele seja ignorado, ao contrário do que ocorre com os emails, por exemplo, que às vezes vão direto para a lixeira.

Além disso, trata-se de uma prática permitida pela legislação vigente, o que a torna ainda mais viável aos políticos. No entanto, se você não tomar certos cuidados, essa estratégia pode se tornar uma grande vilã na sua campanha. Preste atenção aos seguintes itens:

  • Não envie SMS a destinatários que você conseguiu em listas compradas. Pagar para adquirir uma base de dados é ilegal e, além disso, pouco efetivo, pois o usuário ficará irritado ao receber uma mensagem de uma pessoa pela qual ele não tem interesse.

  • Envie SMS apenas a pessoas que já saibam quem você é; isto é, cidadãos que tenham se inscrito em suas newsletter ou que já tenham entrado em contato de alguma forma com sua equipe anteriormente.

  • Sempre dê a opção para que a pessoa possa se descadastrar e deixe de receber as suas mensagens, o que é educado e exigido por lei.

  • Envie assuntos interessantes e relevantes. Não utilize essa ferramenta como um simples pedido para votos.

  • Sempre inclua sua assinatura e o seu número, a fim de fixar essa informação na mente do eleitor.

 Um software de disparo automatizado de SMS pode ser a opção ideal se você quiser investir nessa estratégia!

7. Esteja presente nas redes sociais

Você sabia que os brasileiros são os indivíduos que mais passam tempo nas redes sociais?

Esse dado mostra que os políticos devem aproveitar as redes sociais para alavancar seu marketing eleitoral. Aqueles que decidem se aventurar nesse ambiente possuem grandes chances de aumentar a sua popularidade e de conseguir os votos necessários para vencer as eleições!

Criar uma página do candidato contribui, primeiramente, para gerar a imagem de alguém que é antenado e que está disponível para o seu público. Além disso, assim como no caso dos websites, as redes sociais permitem uma interação rápida e eficiente entre o candidato e seus potenciais eleitores.

Outro fator bastante interessante é que, nesse ambiente, as informações são compartilhadas com muita facilidade, o que aumenta, e muito, o alcance do político. E o melhor: estamos falando de ferramentas gratuitas, eficientes e econômicas. Mas tome cuidado, pois a legislação vigente proíbe a veiculação de anúncios pagos.*

Se você não sabe como começar a atuar nas redes sociais, você pode aprender mais baixando nosso e-book gratuito sobre divulgação política na web!

8. Tenha um bom website e um blog atualizado

bom website e blog atualizado

Hoje em dia, o político que não tem um website já perde pontos automaticamente. Para um bom marketing eleitoral, é indispensável ter uma excelente página virtual, com conteúdo relevante e atualizado com frequência.

O website funciona como um cartão de visita do candidato, e além disso possui uma característica muito valiosa: a interatividade. Através dele, os usuários podem se comunicar com o político, seja através de uma caixa de comentários ou de um formulário de contato, por exemplo. Por isso, é indispensável que na página haja um espaço para que os leitores se manifestem.

Dessa forma, além do fato de que o site permite que o candidato estabeleça um vínculo estreito com a população, ele permite que o político receba dados das pessoas interessadas em sua campanha (quando enviam comentários ou preenchem formulários), podendo utilizar essas informações de forma estratégica para angariar votos.

É preciso, no entanto, ter um assessor disponível para responder os contatos que sejam realizados, tanto através do website e do blog quanto através das redes sociais do político. Caso contrário, a falta de resposta pode deixar o usuário desmotivado e desiludido com o candidato.

Um blog também é indispensável para que o candidato apareça nas primeiras posições em sites de busca. Para isso, é necessário:

  • Ter conteúdo relevante e atualizado com frequência;

  • Apresentar palavras-chaves e títulos significativos e pertinentes;

  • Conseguir ser tão interessante a ponto de que outros websites tenham links que direcionem o usuário para a página do político.

Existem muitas variáveis que podem levar um site a estar ou não na primeira página do Google e, por isso, o mais adequado é contar com a ajuda de uma equipe de desenvolvedores que seja especialista em SEO (Otimização para Motores de Busca).

9. Aposte em inputs contínuos

Nos dias de hoje, as pessoas possuem um acesso muito amplo e constante à informação. Por isso, as coisas ficam ultrapassadas rapidamente, e os cidadãos esquecem rapidamente de quem não se mostra com frequência.

Por isso, para um bom marketing eleitoral é necessário mesmo aparecer constantemente e de várias formas! Realize diversas postagens em suas redes sociais, atualize o blog com frequência, tenha um cronograma periódico de envio de newsletter e seja constante em suas interações.

Além disso, o meio presencial também tem enorme valor. Participe do máximo de eventos que conseguir, faça visita aos eleitores, saia à rua e converse com a população. Mostre a cara! Para te ajudar, você pode ler nosso post  com 6 dicas para conquistar eleitores.

 10. Não se esqueça das mídias tradicionais

Nossa última dica é que você não se esqueça das estratégias tradicionais de marketing eleitoral, como a participação em debates, os jingles, os slogans, a distribuição de panfletos e a propagando em horário eleitoral.

Mas não se esqueça de manter a consistência em todas as estratégias que for utilizar, além de avaliar quais dessas mídias fazem mais sentido junto ao público-alvo que você deseja atingir, considerando também as propostas e os ideias da campanha, bem como os valores do partido.

Esperamos que tenha gostado das nossas 10 dicas para alavancar seu marketing eleitoral. Se ainda tiver dúvidas, que tal bater um papo com um especialista da nossa equipe? Estamos prontos para ajudar você!

* A realização de anúncios pagos em redes sociais e o impulsionamento de páginas e publicações, assim como o uso de sites, e-mails, blogs e aplicativos de mensagens instantâneas, foi autorizada para 2018 pelo Tribunal Superior Eleitoral. No entanto a prática só só pode ser feita por candidatos, partidos e coligações e mediante o fornecimento de dados à Justiça Eleitoral. Além disso, só pode ter início a partir do dia 16 de agosto, antes disso a prática configura propaganda eleitoral antecipada.

Larissa Maciel

Publicitária e especialista em marketing político.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

Ligue agora:

11 4380-6606
Este site utiliza cookies para otimizar sua experiência durante a navegação. Ao continuar nesta página, consideramos que você concorda com a utilização de cookies. Ok, entendi.

© NeritPolítica

by nerit