Marketing político e eleitoral: semelhanças e diferenças

por Equipe Nerit - 14/02/2020 ⇠ Veja outros Posts

À primeira vista pode parecer que estamos falando da mesma coisa ao citar marketing político e eleitoral, não é mesmo? Mas o que ocorre na verdade é uma diferença bem nítida entre um conceito e outro. Essa diferenciação não fica apenas no campo da definição, mas também está na prática. Cada um deles possui estratégias e objetivos específicos.

Apesar de diferentes, existem alguns pontos de tangenciamento entre o marketing político e o eleitoral. Contudo, entender as disparidades entre um e outro é de fundamental importância para tornar as suas táticas mais assertivas.

Não compreender a distinção entre as duas áreas pode fazer com que, no momento do processo eleitoral, por exemplo, um candidato perca muitos votos. Sem contar que não conhecer bem as duas nomenclaturas e suas práticas pode fazer com que as ações de marketing se tornem mais onerosas do que poderiam ser.

Acompanhe este post e descubra quais são as posturas exigidas para o marketing político e eleitoral e não erre na hora de construir sua estratégia de relacionamento com o seu eleitor e a população em geral. Vamos lá?

Vamos começar pelas semelhanças

Existem alguns pontos (e tarefas) que são comuns ao montar uma estratégia de marketing político ou eleitoral. As congruências estão em alguns processos que são necessários para fazer o marketing acontecer. Vejamos alguns. 

Planejamento

Mesmo que você tenha que escolher entre as estratégias de marketing político e eleitoral, existe um processo comum a ambos: o planejamento! Essa etapa é essencial, pois nela você vai definir uma série de indicadores que te ajudarão a alcançar a sua meta. 

Público-alvo

Público- alvo

Definir o público para quem esse tipo de marketing será direcionado é uma ferramenta poderosa no seu planejamento de marketing. Não é necessário ter somente um público. Você, inclusive, por estar no universo da política, pode ter bem mais do que isso. Mas identifique cada um e forneça as informações necessárias sobre cada fatia dele. 

Análise dos concorrentes

Saber como os outros políticos trabalham sua estratégia, tanto na época das eleições quanto nos momentos da governança, é outro passo comum ao marketing político e eleitoral. Essa pesquisa faz com que você não comece a traçar suas metas dando tiros no escuro. Esse é o momento de fazer um reconhecimento de campo e de buscar oportunidades. 

Posicionamento

Depois de analisar a concorrência e definir o público-alvo você terá de pensar em como irá se apresentar. Seu posicionamento diz respeito ao que você deseja comunicar e como você irá fazer isso. Preste atenção na adequação da sua proposta aos itens levantados anteriormente.

Outros pontos também precisam fazer parte do seu planejamento para que você inclua no plano de marketing que irá construir: 

  • Trace suas metas e a partir da definição delas monte seu planejamento;

  • Pense que tipo de conteúdo você quer oferecer ao seu público;

  • Fique de olho na forma e na veiculação da sua mensagem. Quais são os melhores formas (imagens, vídeos, textos e etc) e as melhores mídias (redes sociais, folhetos, rádio, entre outros).

Implementação

Depois de se debruçar e unir esforços para montar o seu plano de marketing, chegou o momento da implementação. Nessa etapa você irá se atentar aos aspectos que dizem respeito ao processo de como tudo que foi elaborado no planejamento será cumprido. Para chegar no objetivo você deverá, nesse momento, fazer as seguintes perguntas:

  • Como faço para colocar meu plano em ação?

  • Quais serão as atividades desenvolvidas?

  • Por quem elas serão realizadas?

  • Qual é o prazo para que os processos se concretizem?

Nessa fase é importante delegar funções e os colaboradores devem estar na mais perfeita sintonia para conseguirem implementar as atividades a serem desenvolvidas. Todos devem estar de olho nas metas que você traçou para que nada dê errado no processo (ou para que, pelo menos, os erros sejam mais aceitáveis e mais fáceis de contornar).

Controle e avaliação do processo

Controle e avaliação do processo

Em um cenário pautado na realidade você sabe da possibilidade de que as coisas não deem muito certo, não é mesmo? Infelizmente, mesmo com todo o trabalho que é desenvolvido na etapa de planejamento, as metas estipuladas nem sempre são alcançadas.

Isso pode ser fruto de um planejamento ruim, mas nem sempre. Acontece que as demandas hoje em dia são muito voláteis e é bem difícil se planejar quando estamos em uma sociedade que está em constante mudança.

Ainda assim, é possível atingir o alvo! Por isso esse momento de controle e avaliação é essencial nos processos de marketing político e eleitoral. Aqui você deverá analisar as propostas do planejamento, como ele foi executado e que tipo de resultados tudo isso gerou. Se alguma coisa deu errada, e não foi de encontro ao que você esperava, é o momento de revisar seu plano.

Essa etapa tem que ser colocada em prática constantemente. Como disse, as coisas estão em constante mudança, e o trabalho para se adequar a essas demandas também deverá ser contínuo. Mantendo esse processo em dia você terá mais sucesso em suas estratégias.

Agora que você tomou nota de todos recursos que aproximam o marketing político e o eleitoral chegou o momento de compreender as diferenças e minimizar os erros em suas táticas. 

Marketing político x Marketing eleitoral

Como já dissemos anteriormente, conhecer a diferença entre o marketing político e o eleitoral é primordial para fazer as estratégias acontecerem. E anterior a isso, é preciso entender essa disparidade antes de traçá-la. Ignorar as especificidades de cada um deles só faz com que os objetivos não sejam alcançados, os custos sejam maiores e que haja um esforço de marketing em vão. 

Iremos apresentar os conceitos de cada uma das vertentes do marketing para que você perceba o porquê de fazermos essa diferenciação. 

Marketing político

O marketing político, também conhecido como marketing de governança, é composto por uma série de processos e técnicas que visam tornar as atividades desenvolvidas por um detentor de um cargo público eletivo conhecidas. 

É um trabalho de longo prazo que acontece no decorrer do mandato. O grande pilar do marketing político é trabalhar a imagem do político, tornando suas ações conhecidas da população eleitoral como ele se vê envolvido.

Funciona como um canal de comunicação do político com o seu eleitor. Hoje, o detentor de um mandato precisa sempre mostrar para a sociedade que ele está ativo, desempenhando funções, propondo projetos e etc. E é o marketing político quem vai levar essas informações ao conhecimento do público.

Trata-se de um ajuste de expectativas que vai levar ao aprimoramento da imagem do político tanto no ponto de vista efetivo do mandato como para um trabalho que faz efeito não só no momento presente, mas no futuro, para uma possível reeleição, por exemplo.

Marketing eleitoral

O marketing eleitoral tem como objetivo adequar um candidato às expectativas de seu possível público eleitoral. Ele tem um objetivo muito claro e datado: a disputa eleitoral.

A partir do plano de governo serão desenvolvidas ações que têm como meta fazer um candidato conhecido do público em um primeiro momento. Depois, a ideia é fazer com que ele se posicione, colocando-o como preferido em relação aos outros candidatos que estão na disputa e, possivelmente, levando-o à vitória.

Estão na competência do marketing eleitoral ações como:

  • pesquisas eleitorais;

  • criações de peças de campanha, como os santinhos e jingles;

  • manutenção das redes sociais do candidato;

  • proposição de eventos e de táticas de relacionamento diretamente com o eleitor.

Como você deve ter percebido, o marketing político e eleitoral tem semelhanças e diferenças bem marcadas. Vamos revisar cada uma delas? 

Diferenças:

  • São configuradas em contextos diferentes;

  • Produzem conteúdo diferenciado;

  • Tem que comunicar ações específicas;

  • Tempo para execução e urgências díspares.

  • Possuem metas distintas.

Semelhanças

  • Precisam de planejamento;

  • Implementação e avaliações de estratégias são extremamente importantes em ambos;

  • Trabalhar a imagem da figura pública é uma necessidade latente.;

O blog post de hoje falou sobre as diferenças e semelhanças entre marketing político e eleitoral. Compreender as divergências de ação e conceituação de cada um deles é importante para tornar suas metas mais propensas de serem alcançadas.

Esperamos que tudo tenha ficado claro e que esse conteúdo seja útil no seu dia-a-dia. Para ficar por dentro do que estamos produzindo, assine a newsletter do blog Nerit Política. Até a próxima!

O que os políticos mais populares do Facebook fazem?

Equipe Nerit

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

Ligue agora:

11 4380-6606
31 3047 5405

© NeritPolítica

by nerit