Pesquisa eleitoral: como fazer

por Larissa Maciel em 20/09/2021 ⇠ Veja outros Posts

Informações valiosas são extremamente importantes no processo de planejamento de campanha eleitoral. Pensando nisso, o post de hoje vai te dar algumas dicas para trabalhar a pesquisa durante o pleito. É através dessa prática que você vai conseguir enriquecer a sua estratégia e chegar no grande objetivo: ser eleito. Vamos lá?

Contratar um instituto de pesquisa

Contratar um instituto de pesquisa

Você tem várias formas para colocar a sua atividade de pesquisa eleitoral em prática. Uma delas é através de institutos de pesquisa. As instituições trabalham com esse campo, muitas nem só na área política.

As empresas vão ter uma conversa com a sua equipe e levantar a metodologia mais adequada às suas necessidades. As atividades compreendem desde a identificação do problema, até a aplicação dos questionários e a divulgação dos resultados apurados.

Principalmente para eleições em cargos do executivo (representados em cada instância pelos prefeitos, governadores e presidente da república), esse serviço é muito utilizado, pois consegue explorar um território maior com mais facilidade. E também porque para esses pleitos a verba disponível para campanha costuma ser maior que para os outros, facilitando assim a contratação.

Existem alguns institutos famosos e conceituados, como o Data Folha, IBOPE, Vox Populi e o Innovare. Se utilizar esse serviço for a prática adotada em sua estratégia, é necessário fazer uma investigação para compreender qual a metodologia mais se adequa a sua realidade, além de se atentar aos custos, é claro. Você também tem a opção de fazer a pesquisa eleitoral por conta própria, como veremos a seguir.

Realizar a própria pesquisa

pesquisa

Como dissemos anteriormente, existe mais de uma forma de se realizar uma pesquisa eleitoral. Ela também pode ser elaborada pelo seu próprio time, economizando gastos extras. Essa é uma boa estratégia, que além de diminuir gastos, ainda permite que os questionamentos estejam mais alinhados à realidade da disputa, pois será elaborado por pessoas que estão mais próximas do dia-a-dia da campanha.

Como o seu grupo de trabalho está envolvido com a disputa eleitoral e em contato com os dilemas da população, eles terão mais facilidade para identificar os pontos que precisam de respostas e podem ser trabalhados no momento da elaboração do questionário.

Os cabos eleitorais são comumente utilizados nessa ação de ir às ruas, nos locais de maiores movimentos, tanto para realizar pesquisas com os possíveis eleitores, como também para saber quais as dúvidas que a população tem sobre o candidato em questão, quais os anseios dessas pessoas para o mandato do candidato que irão eleger. 

Mas, antes de começar o seu trabalho vamos realizar alguns apontamentos que irão tirar as suas dúvidas sobre como fazer uma pesquisa eleitoral. Acompanhe com a gente!

Definir tipo de pesquisa

O primeiro passo de como fazer uma campanha eleitoral é pensar nas estratégias metodológicas que irão constituir o seu trabalho. Quais são as variáveis importantes que devem ser inseridas, as chaves de segmentação e a abordagem são algumas das questões que devem ser estipuladas antes mesmo de elaborar as perguntas para o questionário.

Definir o objetivo da sua pesquisa é muito importante, pois a partir disso você consegue determinar a abordagem, qualitativa e/ou quantitativa, com a qual sua equipe irá trabalhar. A ordem estabelecida para aplicação também é determinante para obter as informações necessárias do entrevistado. Por isso, se debruce sobre esses parâmetros para que sua prática seja a mais efetiva possível.

Mapear a região

Mapear a região

Para qual instância você está concorrendo? Estadual ou municipal? Essa informação é muito importante para a estratégia de como fazer uma pesquisa eleitoral. Perceba o cenário da disputa em que o candidato está inserido.

Você terá de observar e trabalhar com alguns dados, usá-los são consideradas boas práticas de investigação:

  • Gênero: qual é a porcentagem de cada um dos sexos no seu domicílio eleitoral.

  • Idade: qual é a faixa etária da população que vota.

  • Classe econômica: em que situação social os cidadãos se encontram.

  • Área: quais são as áreas presentes na região. Seu público eleitoral se concentra em zonas urbanas ou rurais?

  • Escolaridade: grau de instrução da população.

Esses são aspectos que devem ser levantados nesse momento, de maneira generalizada, englobando a todos os cidadãos que têm concedido o direito de voto. Com esses dados em mãos, divida o espaço geográfico de maneira a identificar as regiões onde a pesquisa eleitoral será aplicada.

Levantar questões importantes

Ter dúvidas sobre como fazer uma pesquisa eleitoral é bem comum, mas se você integrar os esforços de alguns setores da equipe, com certeza as coisas ficarão mais fáceis. Como vimos no post organograma de uma campanha eleitoral, o trabalho do pesquisador e do marquetólogo estão intimamente ligados.

As ações de ambas equipes são interdependentes. É a partir das observações do marketing que serão construídas as perguntas para o questionário que será aplicado. E a partir das respostas e resultados conseguidos pelos pesquisadores é que as estratégias de comunicação serão então criadas. Por isso, é muito importante manter o elo e alinhamento entre esses profissionais.  

Fazer o questionário

A partir das informações levantadas nas reuniões entre os setores de marketing e pesquisa, você vai organizar seu questionário de modo a torná-lo efetivo e fácil de ser aplicado e respondido.

A ordem das questões importa muito, pois é nessa organização que se encontra a oportunidade de se conseguir mais informações e parar a pesquisa, se for necessário. Se um participante der uma resposta que faça com que as perguntas sejam finalizadas depois dela, isso tem que estar expresso no ordenamento do documento.

Por exemplo, se o pesquisador parou uma pessoa que não sabe ler nem escrever na rua. De acordo com a lei, para votar e ser votado, o indivíduo precisa ser alfabetizado. Ao ser informado dessa circunstância, o pesquisador pode encerrar a pesquisa com aquele participante, já que ele não faz parte da população com direito ao voto.

Amostragem

Amostragem

Como fazer uma pesquisa eleitoral que se aproxime o melhor possível da realidade? A resposta é simples: trabalhe muito bem a sua amostragem.

Sabemos que não é possível entrevistar todas as pessoas de uma cidade, por exemplo. Por isso, através de cálculos estátisticos, é possível chegar a um número ideal de questionários aplicados de acordo com a margem de erro que se deseja obter.

A seleção dos participantes deve ser feita com base nos dados que você levantou no mapeamento da região. Por exemplo: se na cidade A, a população que exerce o direito de voto é composta em 57% pelo sexo feminino e 43% pelo masculino, a amostragem tem que possuir um perfil igual ou mais próximo possível dessa realidade.

A quantidade de pessoas selecionadas varia de acordo com o tamanho do eleitorado da região e a margem de erro que deseja se obter com a pesquisa. Quanto maior a amostra, menor será essa porcentagem de imprecisão.

Como a entrevista deve funcionar?

Como a entrevista deve funcionar?

Os entrevistadores deverão ser bem orientados quanto a organização da pesquisa e a escolha metodológica. Educação e jogo de cintura são ótimas características para que esse profissional se saia bem em sua função, afinal, é necessário tato para se fazer abordagens.

A pesquisa não deve sair de seu eixo e ordem de perguntas para que não prejudique a obtenção de resultados. Uma boa prática nesse momento, é montar uma equipe de pessoas que aplica os questionários e outra que conferem se as informações foram bem recolhidas.

Você vai gerar uma série de dados para a sua campanha que não podem ficar desorganizados. Use bem essas informações para que seja possível trabalhar com os resultados e conte com um sistema de gestão para te ajudar nessa tarefa.

O post de hoje trouxe algumas dicas de como fazer uma pesquisa eleitoral, esperamos que tenha sido útil para o seu trabalho. Para mais informações sobre campanhas eleitorais, assine nossa newsletter. Até a próxima!

Post publicado originalmente dia 29/06/2017 e atualizado dia 20/09/2021.

Ebook Banco de Dados

Larissa Maciel

Publicitária e especialista em marketing político.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

Ligue agora:

Este site utiliza cookies para otimizar sua experiência durante a navegação. Ao continuar nesta página, consideramos que você concorda com a utilização de cookies. Ok, entendi.

© NeritPolítica

by nerit