Monitoramento de redes sociais para as eleições de 2020

por Mariana Silva em 30/03/2020 ⇠ Veja outros Posts

As redes sociais se firmaram como um espaço para discussões relevantes para toda a sociedade, inclusive para a política. Desse modo, qualquer político que já possui ou deseja ter uma maior visibilidade para poder ser eleito precisa investir não apenas na alimentação desse canais, mas também no monitoramento de redes sociais.

O monitoramento de redes sociais diz respeito ao trabalho de observação, coleta e análise de dados e informações produzidos pelos usuários nessas mídias.

Ele deve ser uma das prioridade da campanha eleitoral e de tudo que envolve marketing digital, pois é através dele que se torna capaz de prever cenários, saber a opiniões de eleitores e eleitores em potencial e qual é a imagem que eles têm do candidato, qual é o posicionamento dos adversários, e uma infinidade de outros pontos que levam à construção de uma boa campanha.

Monitoramento de redes sociais: qual a importância

importancia monitoramento redes sociais

A necessidade de se realizar um bom monitoramento de redes sociais se dá, em grande parte, pela relevância e grande influência que essas plataformas têm tido na vida do brasileiro médio. As redes sociais hoje em dia são um dos principais focos de discussão política.

70% da nossa população já possui acesso à internet, isso significa que cerca de 126,9 milhões de pessoas estão conectadas. Nós, brasileiros, somos a 3ª nação que mais passa tempo na web, gastando em média 9 horas e 29 minutos.

Desse número, 140 milhões de pessoas são usuárias de redes sociais. Das mais de 9 horas passadas na internet, 3 horas e 34 minutos são gastas todos os dias nesse tipo de plataforma e o Brasil já sobe para a segunda colocação no ranking mundial. Todos esses dados foram divulgados pelo portal Pag Brasil em 2019.

Os números são expressivos e essas mídias não podem mais ser ignoradas e deixadas de fora de qualquer estratégia de marketing eleitoral, se tornando, ao lado das mídias tradicionais como rádio, TV e jornais impressos, uma das principais ferramentas para quem deseja ser eleito.

Quais mídias devem ser monitoradas?

É necessário que a equipe de marketing realize um estudo para saber qual rede social mais se adequa ao perfil do candidato, porém todas elas merecem atenção. As principais redes sociais que devem ser monitoradas com uma maior frequência e cuidado são:

  • Facebook: a rede com mais usuários no mundo dá a possibilidade de se publicar os mais variados tipo de conteúdo;

  • Stories no Instagram: vídeos curtos e fotos que ficam disponibilizados por 24 horas na plataforma;

  • Twitter: textos curtos, de até 280 caracteres, possibilidade de interação aumentada;
  • Instagram: publicação de fotos e vídeos e uso de hashtags;

  • LinkedIn: rede profissional, realize discussões relevantes e tenha prestígio;

  • Youtube: rede social de vídeos e a rede com mais usuários no Brasil;
  • IGTV no Instagram: alternativa de vídeos permanentes para além do Youtube;
  • Youtube: rede social de vídeos e a rede com mais usuários no Brasil.

Atualmente outras redes aderiram a funcionalidade do Snapchat (já praticamente obsoleta) que possibilita a reprodução de vídeos curtos de até 15 segundos que somem depois de 24 horas. Contam com este recurso agora o Facebook, o Instagram e até o Whatsapp (nesse caso, até 30 segundos).

É claro que criar conteúdo relevante e adequado para cada uma dessas redes é essencial, mas parte do trabalho também deve se preocupar com o monitoramento para que toda a estratégia faça sentido e seja bem sucedida.

Mas o que deve ser monitorado?

o que monitorar

Muitas vezes as próprias plataformas fornecem relatórios com os dados mais relevantes para o monitoramento. Mas também é possível contar com ferramentas tanto pagas quanto gratuitas que realizam essa contagem. Algumas bem conhecidas e recomendadas são Google Analytics, SemRush, Buzzsumo, Social Searcher, etc. O ideal é pesquisar o que cada uma tem de melhor a oferecer e que atenda as suas necessidades.

Geralmente o mais importante de ser coletado e analisado é:

  • Número de fãs/seguidores e de visitas;

  • Engajamento nas publicações (curtidas, compartilhamentos e comentários);

  • Alcance (quantas pessoas visualizaram a publicação);

  • Número e qualidade das menções públicas, em grupos, eventos e na própria página ou perfil.

Todas essas informações fornecem uma grande orientação sobre como a imagem do candidato está sendo difundida. É possível filtrar e saber, por exemplo, qual é o sentimento dos usuários das redes em relação ao candidato, que geralmente é classificado em positivo, neutro ou negativo, sendo possível alterar ou traçar estratégias mais eficientes a partir dessas observações.

O monitoramento de redes sociais é imprescindível para promover o engajamento dos eleitores, já que faz com que seja possível interagir com eles em tempo real e acompanhar suas demandas e sugestões. Importante sempre realizar uma pesquisa do seu público, como faixa etária, por exemplo, pois assim é possível focar sua campanha para cada público em cada rede social específica.

A prática se torna uma das melhores ferramentas estratégicas para lidar com crises antes mesmo que elas aconteçam, sendo mais fácil de reverter esse tipo de situação desfavorável.

Entendeu a importância do monitoramento de redes sociais para as eleições de 2020? Deixe um comentário abaixo contando o que achou do post, alguma sugestão ou dúvida. Vamos adorar!

Acompanhe o nosso blog e para nunca perder nada novo assine a nossa newsletter. Até a próxima!

Post publicado originalmente dia 18/05/2018 e atualizado dia 30/03/2020.

Mariana Silva

Mariana Silva é jornalista e especialista em marketing político e eleitoral. Escreve para o NeritPolítica e está sempre em busca do que há de mais novo no mundo da política.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

Ligue agora:

11 4380-6606
31 3047 5405

© NeritPolítica

by nerit