Divulgação de candidatos políticos: como se destacar

por Mariana Silva em 12/03/2020 ⇠ Veja outros Posts

Com a aproximação do período eleitoral vai se tornando mais clara a necessidade de se fazer ser visto e falado. A partir do dia 16 de agosto várias formas de propaganda são liberadas pela Justiça Eleitoral, como passeatas, carreatas, distribuição de material gráfico e propaganda na internet. Já em 28 de agosto tem início a propaganda eleitoral no rádio e na TV.

Todas essas ações têm de ser muito bem pensadas e executadas, além de ser preciso intensificar as estratégias e ações de divulgação de candidatos, dando novos passos em relação ao que já tem sido feito. Este post contém um guia de divulgação que vai te ajudar tanto online quanto offline. Confira e se destaque nas eleições!

Divulgação de candidatos na internet

Atualmente, em média 9 horas e 29 minutos gasto na internet em qualquer dispositivo e estima-se que mais de 100 milhões de brasileiros estão conectados às redes sociais.

A internet se tornou um dos principais canais de divulgação de candidatos. Mas é preciso saber se posicionar para que a presença na web não dê errado. O Tribunal Superior Eleitoral possui uma resolução que proíbe uma série de práticas e regula a propaganda na internet. Neste post explicamos o que pode e o que não pode ser feito.

Algo para se ter sempre em mente é o inbound marketing, que nada mais é que estratégias de atração de público e veiculação de conteúdo relevante. Ao se pensar em inbound deve-se ter em mente 3 coisas:

  • Marketing de conteúdo;

  • SEO (Search Engine Optimization, que significa otimização para mecanismos de busca);

  • Redes sociais.

O candidato pode ter um site ou blog. A página precisa ter um domínio registrado e fazer com que toda a plataforma seja interativa para os eleitores poderem ter espaço para se manifestarem. A responsividade também conta e muito! As pessoas devem conseguir abrir e carregar o conteúdo de maneira ágil em qualquer tipo de dispositivo, levando em consideração que muitos usuários acessam os conteúdos através de telas menores, como smartphones.

O site precisa ser uma central de informações sobre o candidato e um instrumento de retenção de contatos. Além de criar conteúdos envolventes e valiosos para o eleitorado disponibilizando todos os dados necessários, tanto sobre o candidato quanto sobre suas propostas, é preciso ficar bem rankeado no Google e aparecer na busca orgânica.

Para isso, são trabalhadas as técnicas de SEO e seus 3 principais pontos:

  • Palavras-chaves - os termos que são usadas nas pesquisa dos eleitores. Crie conteúdos específicos para essa demanda;

  • Estrutura do texto - a ordem em que sua página é dividida com títulos e subtítulos é muito importante, pois ajuda a orientar a leitura e destacar informações relevantes do texto;

  • Links - se outras páginas linkam para alguma página em seu site, e se você também faz algum link para bons endereços você se torna relevante para os buscadores.

Quanto ao uso de redes sociais para política, as mais utilizadas e que se mostram mais eficientes são:

  • Facebook: a rede com mais usuários no mundo dá a possibilidade de se publicar os mais variados tipo de conteúdo;

  • Twitter: textos curtos, possibilidade de interação aumentada.

  • Instagram: publicação de fotos e vídeos e uso de hashtags são as marcar registradas desse aplicativo.

  • LinkedIn: rede profissional, realize discussões relevantes e tenha prestígio.

  • Youtube: rede social de vídeos.

  • Blog: produza conteúdos ricos e ganhe autoridade.

Depois de implementar uma estratégia de produção de conteúdo nas redes, não deixe de fazer o monitoramento de tudo que é publicado. Também temos um texto completo sobre o assunto, mas os principais números para serem monitorados são:

  • Número de fãs/seguidores e de visitas;

  • Engajamento nas publicações (curtidas, compartilhamentos e comentários);

  • Alcance (quantas pessoas visualizaram a publicação);

  • Número e qualidade das menções públicas, em grupos, eventos e na própria página ou perfil.

Invista nas peças certas de divulgação

Sem dúvida alguma a internet reconfigura as formas de divulgação de candidatos políticos, mas isso não significa que outras peças de divulgação devem ser abandonadas. Principalmente quando se leva em consideração que muitas pessoas ainda não têm acesso ao meio digital.

Com a minirreforma eleitoral de 2016, muitas regras para a criação e distribuição de peças gráficas foram definidas e alteradas. Algumas foram proibidas, como é o caso de cavaletes, cartazes, bonecos e outdoors. Isso foi feito pensando na poluição visual que essas peças causam e porque elas geram um transtorno ao ocupar e obstruir as calçadas.

Mas é possível obter bons resultados de divulgação para candidatos com outras peças que ainda são permitidas. Algumas delas são:

  • O santinho político talvez seja a peça gráfica com maior alcance de todas. Neste material os elementos essenciais são o nome do candidato, seu número, partido e sua foto. Santinhos para os que concorrem a cargos majoritários devem conter ainda o nome do vice de modo claro e legível, em tamanho até 30% menor que o nome do titular.

Os santinhos políticos, assim como todo material impresso eleitoral, têm que trazer o CNPJ ou o CPF do responsável pela confecção, bem como de quem a contratou e a respectiva tiragem.

  • Os adesivos podem ser um instrumento muito interessante para permitir o engajamento dos eleitores e deixar que eles demonstrem seu apoio ao candidato. Eles podem ser distribuídos em comícios e em vários outros tipos de eventos para promover a participação dos eleitores na campanha.

  • Adesivos microperfurados em para-brisa e pára-choque de carros são peças bem práticas e que possuem uma durabilidade muito boa. Com uma arte bem feita, são ótimos para a divulgação do nome e número do candidato.

  • O cartão de visita é uma peça que se difere das outras, pois é capaz de transferir mais profissionalismo e credibilidade. Sua distribuição é mais seletiva, devendo ser entregue apenas àquelas pessoas que forem de fato interessantes para a sua campanha.

  • Folderes são um material que possui um valor de investimento baixo, apesar de terem uma ótima qualidade de impressão. É uma peça maior e que contem algumas informações mais profundas para seu eleitor. Além dos dados básicos de voto, é essencial que se use esse espaço para elencar pontos do seu plano de campanha e informações de acesso a outros materiais, como seu site e suas redes sociais.

Essas foram as nossas dicas sobre divulgação de candidatos na internet e através de peças gráficas. Este é o momento de manter o foco nas eleições e fazer bonito com o eleitorado. Se quiser ver algum tema específico sendo tratado aqui no blog, é só deixar um comentário abaixo que vamos ficar muito felizes em te ajudar a fazer uma boa campanha!

Para não perder as novidades assine a nossa newsletter e acompanhe nossa página no Facebook. Até a próxima!

 

Mariana Silva

Mariana Silva é jornalista e especialista em marketing político e eleitoral. Escreve para o NeritPolítica e está sempre em busca do que há de mais novo no mundo da política.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

Ligue agora:

11 4380-6606
31 3047 5405

© NeritPolítica

by nerit